A música e o ser humano

A música e o ser humano são indissociáveis!

O ser humano é, por natureza, musical!

A música atua desde os primeiros momentos de vida do ser humano quando as canções de ninar configuram as primeiras impressões de nossa memória musical.

A música e o ser humano

Pessoas passam boa parte do tempo de sua vida ouvindo música.

O ser humano ouve música nas ruas com seu fone de ouvido, quando assiste a um filme ou novela, nos intervalos de filmes e novelas nas propagandas comerciais, enfim, a música está sempre presente no cotidiano humano.

A verdade é que a música exerce um grande poder e fascínio sobre o ser humano.

A música é fundamental para o ser humano!

Instinto musical

Há no ser humano um instinto da linguagem e um instinto musical.

Somos, assim, seres linguísticos e musicais.

Reflita: o ser humano, mesmo sem ser um músico ou estudioso da música, naturalmente percebe timbres, tons, relação harmônica de notas musicais, enfim, o ser humano percebe naturalmente a música.

A musicalidade faz parte da natureza humana!

E, além da natural percepção musical, o ser humano é também afetado emocionalmente pela música.

Afetação musical

A música conduz o ser humano à intensa profundidade e reações emocionais alterando estados de humor, motivações, provocando dores e êxtases, entre outros tantos coloridos emocionais.

Uma construção musical envolve complexos processos mentais em que são utilizadas muitas partes do cérebro, acesso a conteúdos inconscientes, cognição e profundos contatos com conteúdos emocionais.

A música afeta o ser humano, isso é inquestionável, e é uma afetação que vai além do auditivo e emocional.

A música nos afeta também de forma motora!

Sim! Quem ao ouvir uma música não ficou batendo o pé a acompanhando ritmicamente ou ficou se remexendo ao seu ritmo numa dança involuntária?

E a música é tão presente na mente humana que sua presença nem precisa ser objetiva, ou seja, nem precisamos estar em contato direto com a música.

Basta a música tocar na nossa cabeça e o efeito da música subjetiva é o mesmo da música subjetiva.

Por vezes, a presença musical chega a ser incômoda, como, por exemplo, naquela situação em que uma música não sai de nossa cabeça mesmo que queiramos!

A música, não somente afeta nosso sistema auditivo, mas, também, afeta nosso sistema nervoso.

A música tanto excita quanto acalma, e estas mudanças se refletem fisiologicamente promovendo reações neuroquímicas no organismo humano.

Existem, inclusive, pessoas que são supersensíveis e ao ouvirem música sentem cheiros e gostos, se sentem tocadas de maneira táctil e até veem cores!

A afetação musical é tão evidente que a música vem se mostrando e sendo utilizada como um poderoso recurso terapêutico!

Musicoterapia é um termo que provavelmente você já ouviu falar.

Cada vez mais a música vem sendo utilizada como instrumento terapêutico e seu efeito é comprovado tanto empiricamente quanto em investigações feitas sob o rigoroso método científico.

A música provoca reações neurais e é um campo que pode ser ricamente investigado pela neurociência e colocar a música cada vez mais como algo que é mais do que entretenimento.

Enfim, a música e o ser humano são inseparáveis!

O ser humano é um ser que precisa viver a sua vida com trilha sonora!

Para tornar prático tudo o que você leu até aqui, ouça esta música e perceba se ela lhe afeta ou não!

Paulo Rogério da Motta