Mensagem: As três peneiras gregas


As três peneiras gregas é uma mensagem que demonstra que a sabedoria reside na reflexão e muitas vezes no silêncio.

As três peneiras gregas

Conta-se que certa vez um amigo procurou Sócrates, o celebre filósofo grego, desejando lhe contar algo sobre a vida de outro amigo comum.

– Quero lhe contar algo sobre o nosso amigo Andréas que vai deixar você boquiaberto!

– Espera um instante! – Interrompeu o filósofo – Você passou o que vai me dizer pelas três peneiras?

– Três peneiras? – Espantou-se o interlocutor. – Do que você está falando?

– Primeira peneira: a coisa que me contará é verdade?

– Eu assim creio, pois me foi contada por alguém de muita confiança – diz o amigo.

– Bem! Alguém lhe disse…  – Prossegue o filósofo. – Vejamos a segunda peneira: a coisa que pretende me contar é uma coisa boa?

O outro hesitou, resfolegou e respondeu gaguejante:

– Nã-não exatamente!

E Sócrates continuou a sua inquirição:

– Isso já começa a me esclarecer. Verifiquemos agora a terceira peneira então, que é a prova final! O que tem a intenção de me contar é de utilidade tanto para mim como para o nosso amigo Andréas e também para você mesmo?

O interlocutor baixa os olhos e responde ao filósofo:

– Não, não e não.

– Então, meu caro amigo, – disse Sócrates – a coisa que pretendia me contar não é certamente verdadeira, tampouco boa e sequer útil e, assim sendo, não tenho a intenção de conhecê-la e aconselho você a não mais procurar propagar tal coisa sobre nosso amigo Andréas.

E o sábio filósofo prossegue:

– A cada dia somos alvo de pessoas com grande desejo de nos contarem coisas a respeito de outras pessoas. Devemos procurar fazer o teste das três peneiras gregas sobre qualquer coisa que iremos falar.

E Sócrates ensina:

– Pergunte a si mesmo se o que você vai dizer: É verdade? É bom? É útil? Caso a resposta seja negativa para qualquer das três perguntas devemos simplesmente evitar que sejamos parte integrante nas bisbilhotices e nos mexericos de pessoas ávidas de “novidades” sobre a vida alheia.