Dizer “não” educa e é um ato de amor

A educação de uma criança começa desde o seu nascimento.

O bebê, ao obter o primeiro contato com sua mãe já começa a dar os primeiros passos em direção ao seu  aprendizado.

É a partir da relação com o outro ser humano que o bebê começa a adquirir seus primeiros conhecimentos em relação ao mundo, aprende a se comunicar através das interações com os adultos.

É na infância que lidamos pela primeira vez com nossas frustrações:

  • Ter que largar a chupeta,
  • Não ganhar aquele brinquedo que pedimos
  • Perder a atenção irrestrita com o nascimento do irmão, etc..

Dizer NÃO educaNessa fase aparece em nosso caminho uma palavra chata que vai nos perseguir para sempre: “não”.

Muitos pais evitam dizer “não” como forma de resguardar o filho de se frustrar. Como se fosse possível impedir que a criança se sinta desiludida vez ou outra.

O grande problema é que, se uma pessoa não aprende desde cedo a conviver com a decepção com coisas pequenas e cotidianas, futuramente vai ter sérias dificuldades para lidar com as demais situações da vida.

Portanto, dizer “não” educa e também é um ato de amor!

O “não” limitando e enfraquecendo

Muitos pais exageram em dizer “não” como forma de resguardar o filho de erros e perigos.

O “não” quando usado exageradamente pode fragilizar a criança que se verá impotente diante das circunstâncias e obstáculos.

O excesso do uso do “não” à criança poderá gerar nela um traço de personalidade que fará dela um adulto submisso diante de figuras de autoridade, inseguro de si mesmo e que se autolimita na vida, não dando espaço para seus sonhos.

Uma característica humana de grande valor é a sua capacidade de sonhar com os olhos abertos.

Tudo o que foi inventado pelo homem esteve antes dentro de sua cabeça como um sonho.

Educar faz com que os educadores muitas vezes tenham que dizer “não”, mas o bom educador é aquele que toma o extremo cuidado de não destruir a capacidade de sonhar de alguém.

A dor de quem não sonha é maior do que a dor daquele que não realizou seu sonho.

Portanto, dizer “não” educa, mas há que se ter o cuidado para não se ser um ladrão de sonhos!

Gonzaguinha – Nunca pare de sonhar

 

Mais de Comportamento: