Quando se está emocionalmente vulnerável


Quando se está emocionalmente vulnerável perde-se a objetividade.

Tomar decisões quando se está assim é como fazer compras quando se está com fome.

Artigo baseado no livro: Decifrar pessoas: Como entender e prever o comportamento humano, de Jo-Ellan Dimitrius e Mark Mazzarella.

Quando se está emocionalmente vulnerável

Quando se tem amizade ou se ama alguém é estabelecido um compromisso emocional com esta pessoa.

Da mesma forma, quando se tem inimizade ou se odeia alguém também é estabelecido um compromisso emocional com a pessoa.

E um compromisso emocional pode ser um vínculo que cega!

Em situações assim não se quer ver nada de ruim no amigo ou naquele que ama e nada de bom no inimigo ou naquele que odeia.

O compromisso emocional rouba a clareza da objetividade e, por consequência, do bom senso.

Quantas vezes você já disse ou ouviu frases assim:

– Como eu não pude enxergar isso nele!

– Todo mundo enxergava somente eu que não!

– Estava na cara e não quis ver!

– Como deixei me enganar!

– Menti para mim mesmo!

O compromisso emocional é a base para as relações humanas, mas assim como a água que mata a sede e também afoga é o vínculo emocional.

O ser humano é um ser que, além de tudo, habitua-se com as coisas, mesmo que sejam ruins, e quando ele estabelece um compromisso emocional com algo ou alguém então o hábito torna-se vício.

É desta forma que pessoas não abrem mão de relações nocivas com alguém.

E também quando se está emocionalmente envolvido com o resultado de alguma coisa permanece inúmeros anos de sua vida em empregos que detesta ou estudando para fazer algo que o desagrada.

Ter um compromisso emocional é ruim então?

De forma alguma!

Vincular-se emocionalmente com algo ou alguém é que dará significado para este algo ou alguém.

Emoções colorem o viver!

Um exemplo da diferença de algo feito com compromisso emocional ou não é o sexo.

Pessoas que fazem sexo sem compromisso emocional são como copos furados que chegam vazios à boca e, assim, precisam ser constantemente enchidos.

Pessoas assim procuram parceiros em quantidade porque equivocadamente acreditam que serão preenchidos seus vazios internos.

Sexo, mais do que vínculo de corpos é vínculo emocional!

A intimidade sexual nascida através do compromisso emocional é baseada numa história sendo escrita, do respeito mútuo, da admiração e o sexo é apenas o meio para consumar o vínculo entre duas pessoas.

Se por um lado a ausência de compromisso emocional empobrece uma relação, por outro lado, estar emocionalmente vulnerável é como estar se equilibrando em uma perna só na beira de um abismo.

Quando se está emocionalmente vulnerável a falta de clareza faz com que sejam desconsiderados defeitos básicos e até imensos de algo ou alguém até que a paixão passe.

Somos seres afetivamente humanos e, consequentemente, candidatos à vulnerabilidade emocional e quando tal acontece é importante o reconhecimento de que se está emocionalmente vulnerável.

O reconhecimento da vulnerabilidade emocional pode ligar o sinal de alerta de que não é hora de tomar decisões, pois, geralmente, as decisões tomadas quando se está assim são ruins porque a objetividade está perdida.

Por isso é muito importante ter consciência das suas emoções.

Também é importante dar um tempo para si mesmo, mesmo que isso demande esforço, para que as conclusões da vida sejam tomadas com objetividade.

Estabeleça compromissos emocionais, mas não faça deles abismos para se pular.

Paulo Rogério da Motta