O preconceito com os idosos na sociedade atual

O preconceito com os idosos na sociedade atual é, por vezes, descarado e se expressa desde a expressão: “velho” ser usada de forma pejorativa até o mal trato por parte de familiares.

Em outras vezes, o preconceito com os idosos acontece de forma velada e acontece com a desintegração da identidade da pessoa como se o processo de envelhecer tivesse apagado a sua individualidade e a pessoa tivesse se transformado numa entidade coletiva em que todos que envelheceram se tornaram iguais.

Quem já não ouviu frases como:

  • Não liga não! Ele está velho!
  • Coitadinho, está velho!
  • Isso é coisa de velho!
  • Ele está muito velho para isso!

A verdade é que existem muitas crenças a respeito do processo de envelhecimento que resultam em estereótipos negativos.

Esses estereótipos acabam insinuando as pessoas idosas como mal humoradas, passivas, com pouca energia e dependentes dos outros.

Ocorre na verdade um processo de discriminação em relação a essa fase da vida, tão grave quanto qualquer outro preconceito, seja ele de qualquer origem.

Preconceito enraizado

  • Você já se sentiu discriminado por causa da sua idade ou viu alguém sendo discriminado por ser idoso?
  • Você acha ofensiva a expressão: “velho”?
  •  Se você é ou fosse idoso se incomodaria de ser chamado de velho?

Estas questões servem como parâmetro para percebermos que o preconceito com os idosos é, muitas vezes, enraizado e de forma tão profunda que sequer se percebe que ele existe!

Há um apelo social tão esmagador para ser eternamente jovem que envelhecer parece algo ofensivo!

Quantas pessoas hoje não dizem:

-Ah! Eu não quero envelhecer não!

Esta frase dita de outra forma, caso se pare para pensar, significa o mesmo que: “eu quero morrer jovem”!

A equivocada situação de nossa sociedade atual de “proibir o envelhecimento” faz com que, inconscientemente, se prefira morrer a envelhecer.

O direito e a dádiva de envelhecer

Esse preconceito com os idosos é uma forma de negligenciar pessoas não lhes dando o direito de viver suas vidas ao seu modo.

Há que se reconhecer que ser idoso não é sinônimo de ser fraco ou ser cansado e sequer de se ser frágil!

O fato é que aquele que envelhece é o que teve mais tempo para obter experiência e transformar sua experiência em sabedoria de vida. Alguns não fazem isso, mas a oportunidade de obter sabedoria através da experiência é aproveitada por muitos, embora não reconhecida socialmente.

Exemplo: o mercado de trabalho, geralmente, não oferece oportunidade para as pessoas idosas.

A necessidade de uma nova visão

Uma nova visão do idoso se faz necessária, não só pela urgência do momento, mas também porque todos aqueles que hoje ainda não são idosos no futuro serão.

O avanço da medicina, as facilidades provenientes dos avanços tecnológicos e outros fatores estão fazendo com que a nossa sociedade fique mais idosa ao se aumentar a longevidade de vida.

Viver mais tempo implica, ao mesmo tempo, que teremos mais pessoas que convivem com perdas.

Sim! A velhice é permeada de inúmeras perdas, como, por exemplo:

  • Saúde
  • Pessoas próximas
  • Status
  • Segurança financeira
  • Convivência familiar

Entre outras perdas.

(A expectativa de vida do brasileiro em 2013 é de 74,9 anos) 

A terceira idade é uma fase em que a qualidade de vida precisa ser mais do que nunca ser buscada para equilibrar a conta em razão das dificuldades naturais que surgem com o avançar da idade. Porém, a busca individual de qualidade de vida por parte da pessoa idosa é bastante dificuldade pelos obstáculos sociais.

Hoje vivemos numa sociedade que prega a “eterna juventude” e tudo o que não é associado a esta ideia assume um caráter social negativo.

 Hoje, quando alguém chama o outro de “velho” é num sentido pejorativo!

É comum também no próprio seio familiar a presença do idoso não ser aceita por não condizer com os parâmetros de eterna juventude.

Isso nos mostra o quanto nossa sociedade precisa amadurecer e não somente envelhecer.

Todo preconceito é ruim, mas é preciso dizer que: “o pior preconceito é aquele carregado pela própria pessoa em relação a si mesma”.

Se você for uma pessoa idosa:

Orgulhe-se de ser idoso, defenda o seu direito de envelhecer e agradeça a dádiva de ser alguém que faz do tempo um caminho para ser um alguém melhor.

Se você não é uma pessoa idosa torça para chegar a ser, pois se isso não acontecer significa que sua vida foi curta.

E envelhecendo, seja sábio hoje para viver uma situação melhor amanhã! Trate e veja o idoso de hoje da mesma forma que você quer ser tratado e visto como idoso amanhã!

O preconceito com os idosos existe em nossa sociedade, mas, como todo preconceito, é tolo!

E o preconceito com os idosos é extremamente tolo porque é um preconceito contra si mesmo no futuro.

Paulo Rogério da Motta