O que é Wicca?

Responderei o que é Wicca dizendo inicialmente que se trata uma religião com conceitos muito bonitos que a fazem um caminho para o resgate do sagrado feminino e do pensamento ecológico, temas tão importantes para nosso tempo atual.

Mas iniciemos nossa caminhada mágica para responder o que é Wicca ouvindo Wendy Rule.

Wicca e bruxaria

A Wicca surgiu em 1951 na Europa quando Gerald Gardner publicou uma obra que falava de suas experiências e conhecimentos adquiridos em seu Coven.

Coven é o nome dado a um grupo de bruxos que pratica a Arte Mágica, estuda a Velha Religião e celebra os deuses e a vida.

A origem da palavra Wicca é do inglês arcaico na expressão wicce, cujo significado é moldar, formar, girar ou dobrar.

Wicca é bruxaria, embora há quem prefira colocar a Wicca como Bruxaria Moderna e a Witchcraft como Bruxaria Tradicional.

Essa diferenciação parte da premissa de que a Bruxaria Tradicional ou Witchcraft segue práticas mais antigas.

Sendo assim, todo wiccano é bruxo, mas nem todo bruxo é wiccano.

As bruxas foram estereotipadas como representantes do feio e do mal pela inquisição católica e se perpetuou desta forma nas histórias infantis.

Em razão disto, alguns preferem ser chamados apenas de wiccanos e não de bruxos.

Wicca é religião

A Wicca é também conhecida como a Arte, A Divina Arte, A Religião Antiga, o Antigo Caminho, a Antiga Fé e a Velha Religião.

A Wicca é uma religião que não se sustenta por dogmas ou livros sagrados e seus fundamentos se baseiam na comunhão do ser humano com a natureza e o sagrado através do culto aos deuses antigos, o resgate do sagrado feminino, a atitude ecológica, a teurgia e a celebração dos ciclos da natureza.

A principal deidade da Wicca é a Deusa que representa a própria vida e toda a Criação.

Entretanto, a Wicca não coloca apenas o feminino como sagrado, o masculino também assim é considerado e o Deus é a representação dos instintos, da liberdade e da fertilidade.

Deusa e Deus formam um casal e, mesmo sendo a Wicca uma religião centrada na figura matriarcal, ambos constituem a base religiosa, pois tudo o que foi criado proveio do Deus e da Deusa e Eles são o Pai e a Mãe de tudo e de todos.

O Deus ou o Grande Pai tem como símbolo o sol e a Deusa a Lua e a Terra.

Deus e Deusa são representações dos aspectos masculinos e femininos e estão presentes em toda forma de vida, desta forma, o Deus e a Deusa estão presentes em tudo e em todos, o que torna tudo e todos como portadores do sagrado.

Importante o entendimento de que a Deusa e o Deus são imanentes e, por isso, são presentes em tudo, pois a compreensão desta ideia é que permite ao wiccano celebrar a vida como sagrada e não fazer distinção entre mundano e sagrado.

Para o wiccano o mundo é sagrado, assim como o seu viver é um ofício sagrado.

Essa concepção dos Deuses serem imanentes permite ao ser humano vivenciar o sagrado como algo próximo, presente e acessível, ao passo que, a concepção de um Deus como transcendente coloca-o como algo distante, a ser alcançado e com o sagrado residindo, principalmente, nos momentos em que é cultuado.

Por isso, os wiccanos não precisam de templos, pois o mundo e o seu próprio corpo são seus templos e a vida é uma eterna celebração do sagrado.

A Deusa representa o feminino e o Deus o masculino e a centralização na figura feminina se deve à sua associação com a vida e a natureza, o que a torna mais presente e próxima do viver humano.

Porém, a Wicca propõe a integração entre o feminino e o masculino e é esta integração que dá lugar ao homem na religião wiccana.

A teurgia wiccana e suas celebrações tem forte influência da antiga religião celta, mas outras influências também são presentes como a egípcia, a grega, a sumeriana entre outras.

Agora que você já sabe o que é Wicca e se quiser saber mais sobre a teurgia na Wicca leia outro artigo do Euniverso: A teurgia na Wicca.

Blessed Be! (Abençoado(a) seja!)

Paulo Rogério da Motta