Você é órfão ou mágico?

Suas atitudes dizem quem você é e podem lhe levar a ser órfão ou mágico.

O medo pode indicar sua escolha!

Quem você é na vida?

Órfão ou mágico?

Órfão ou mágico

O medo inconsciente

Artigo baseado na obra: A alquimia do medo, de Kay Gilley.

O medo indefinido, seja ele pessoal ou coletivo, tem o poder de nos paralisar, de nos afastar de nossos reais propósitos, de nos tornar ineficazes, de ser algo pesado como chumbo que nos cansa ao carregá-lo.

Quantas vezes não nos vemos tentando controlar o incontrolável?

O medo é uma pedra que rolamos na vida.

O ser humano carrega o medo de não ser feliz, o medo de não obter sucesso, o medo de não se realizar, o medo de ser rejeitado, o medo de perder, o medo de não ser amado, o medo de envelhecer…

Armazenamos o medo em nosso corpo e adoecemos psiquicamente e até fisicamente.

Órfão ou mágico

Mas nossos medos podem ser dádivas!

Como assim?

Em vez de nos fazer parar de agir eles podem catalisar um processo que nos mostrará o que precisamos levar em consideração ou aprender.

Quando somos capazes de nos envolver num processo de transmutação, começando por admitir nossos medos e a dar nome a eles, somos capazes de entrar em contato com a magia da alquimia.

O processo de transmutação consiste na transformação de algo indesejável em algo desejável, ou seja, na transformação de algo de pouco valor em algo de grande valor.

Conhecer seus medos e desejos é autoconhecer-se e atrás de todo medo há o desejo.

Sobre este tema há um artigo no Euniverso: Medo e desejo na Psicanálise.

Órfão ou mágico

O medo consciente

Aprender a reconhecer e a admitir seus medos de maneira consciente e a “conviver com eles” é indispensável na vida, sejam eles moinhos ou dragões.

Nossos temores inconscientes nos mantém presos em autocensura e na censura das pessoas que nos cercam e assim nos sentimos intimidados ou intimidamos quem nos rodeia.

Reconheça-se como uma pessoa que tem medos, ou… O medo terá você!

Fale de seus medos!

Reflita sobre seus medos!

Encare-os!

Tire os fantasmas do armário e os monstros que ficam embaixo da cama!

Encarar os próprios medos muda a vida e mudanças causam medo…

Mas, mudança é movimento e o que não se movimenta fica estagnado.

Há que se conviver com o medo porque ele faz parte da vida, mas ele não pode estagnar a vida.

Comece então com mudanças em você, o resto é somente o que lhe rodeia.

  • Adquira uma postura de “não saber”. Aceite que o imprevisível é algo possível a qualquer momento. Isto o tornará flexível.
  • Seja aberto, curioso. Aceite que o que você pretende talvez não seja sempre o melhor a acontecer.
  • Aceite que mesmo o que você deseja pareça ser o melhor a acontecer, ainda assim… Talvez não venha a acontecer. Lide com a realidade que vive!

Órfão ou mágico

Você é órfão ou mágico?

A vida é imprevisível, quer você queira ou não.

O desconhecido pode gerar o medo, mas pode também gerar a criatividade, a resiliência, a flexibilidade e permitir que você mostre o quanto você pode ser especial e diferente.

Programe-se na vida, mas abra mão do desejo de controlar.

Você pode não ter como controlar a vida, mas você pode controlar como lidar com a vida.

Como fazer isso?

Controlando suas atitudes!

 Suas atitudes dizem quem você é.

Vá além da aparência!

A roupa que veste pode passar uma imagem.

A linguagem que usa pode passar uma expressão.

A cara que apresenta pode passar uma ideia.

Mas são suas atitudes que dizem quem você realmente é.

E suas atitudes podem lhe levar a ser um órfão ou um mágico!

Órfão ou mágico?

Sim!

Órfão ou mágico

O órfão é aquele que se sente ameaçado, vítima e que está sempre precisando de ajuda.

O órfão é limitado pelas circunstâncias que são maiores do que sua força interior.

O órfão pode parecer um coitadinho ou um pop star!

Muita gente esconde a mediocridade atrás de coisas que ostentam e criam a falsa impressão de sucesso e realização.

A riqueza externa esconde a pobreza interna.

A riqueza destas pessoas cabe em bolsos e bolsas.

Ricos em coisas e pobres em conteúdo.

Ricos no banco e pobres na alma.

Ricos na aparência e pobres na essência.

Pessoas assim também são órfãos. Suas almas estão desamparadas e estas pessoas vivem limitadas na ignorância de que para se ter valor é preciso ter coisas. Para se ser alguém valoroso é preciso ter coisas.

Como foi dito antes: as atitudes dizem quem alguém realmente é.

Atitudes valorosas indicam pessoas valorosas!

Atitudes mesquinhas indicam pessoas mesquinhas!

Os frutos indicam a árvore de que vieram.

Mas e o mágico? Como é a figura de um mágico na vida?

Órfão ou mágico

O mágico é aquele que possui muitas possibilidades porque não é órfão de nada. As possibilidades são inúmeras porque está aberto para a vida!

O mágico é aquela pessoa que é feliz e se realiza com o que tem sem ser conformista. Quer mais, mas já se regozija com o que tem! Se conseguir mais será ainda mais feliz e se não conseguir já é feliz e continuará sendo. Sua felicidade não depende de coisas.

O mágico é realizador. Tudo o que a vida lhe oferece é matéria prima e ele realiza mágicas com o que a vida oferece: pequenos momentos são suficientes para serem transformados em felicidade, pequenas oportunidades são passos para seu crescimento e problemas são como vitaminas: o fortalecem!

Mágico é aquele que ajuda porque compreendeu que ao ajudar alguém ele enriquece a si mesmo. Torna-se uma pessoa ainda mais valorosa e isso o faz sentir-se bem! O mágico à noite coloca a cabeça no travesseiro e adormece satisfeito com um sorriso no rosto e agradecido pelo dia que teve.

O mágico é aquele que acredita em si mesmo e na magia da vida porque ele sabe que dentro de si existem inúmeras, talvez infinitas potencialidades e isto faz da vida um caminho para despertar o que está dentro de si. E o que está dentro de si é que são seus tesouros e o tornam valoroso!

Você escolhe ser órfão ou mágico?

Paulo Rogério da Motta

Vídeo: Kelly Clarkson – Breakaway

Norman Vincent Peale: “O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste.”.