Praticando o desapego

Correntes de ligação

Um ensinamento Sufi conta a história de um homem que visitou um grande místico para descobrir como se livrar de suas correntes de ligação e preconceitos.

Em vez de lhe responder diretamente, o místico pulou rápido em direção a uma pilastra próxima, colocou os braços em torno dela e agarrou a superfície de mármore, enquanto gritava:

-Salve-me desta pilastra! Salve-me desta pilastra!

O homem que fizera a pergunta não conseguia acreditar no que via, e pensou que o místico estava maluco.

A gritaria logo atraiu uma multidão de pessoas.

-Por que está fazendo isso? – perguntou o homem.- Eu vim para lhe fazer uma pergunta espiritual, porque pensei que o senhor era sábio, mas obviamente é louco. O senhor é que está segurando a pilastra e não o contrário, e pode simplesmente largá-la.

O místico largou a pilastra e disse ao homem:

-Se você puder entender isso, terá a resposta. “Suas correntes de ligação não o seguram, mas você é quem as está segurando e pode simplesmente largá-las.”

Dick Sutphen

borboleta10

Praticando o desapego, por Gloria Hurtado

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário….

Perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos.

Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos que já se acabaram.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: Diga a si mesmo que o que passou jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo…

– Nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.

Encerrando ciclos, não por causa do orgulho, por incapacidade ou por soberba…

Mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais em sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.

Quando um dia você decidir a pôr um ponto final naquilo que já não te acrescenta.

Que você esteja bem certo disso, para que possa ir em frente, ir embora de vez.

Desapegar-se, é renovar votos de esperança de si mesmo,

É dar-se uma nova oportunidade de construir uma nova história melhor.

Liberte-se de tudo aquilo que não tem te feito bem, daquilo que já não tem nenhum valor, e siga, siga novos rumos, desvende novos mundos.

A vida não espera.

O tempo não perdoa.

E a esperança, é sempre a última a lhe deixar.

Então, recomece, desapegue-se!

Ser livre, não tem preço!