Qualidade de vida para o idoso

Satisfação em estar vivo e com a vida que se tem!

A satisfação é um indicador da qualidade de vida e este indicador serve também para os idosos.

Um envelhecimento bem sucedido é aquele em que a pessoa ainda sente satisfação pela vida que tem e ainda mantem metas significativas de vida.

A satisfação com o presente e os planos para o futuro propiciam um bem estar psicológico.

Fatores que influenciam a qualidade de vida para o idoso

As amizades para os idosos são uma importante fonte de felicidade e a família tem um papel importante de apoio e segurança.

Muitos idosos tornam-se fragilizados e geralmente são cuidados por um parente próximo.

Vídeo: Valorização do idoso

Muitas vezes os cuidados com uma pessoa idosa podem gerar decepções, irritações e maus tratos por parte de seus cuidadores e alguns são mantidos em casas de repouso.

O cônjuge é o componente mais importante do grupo social do idoso e quando tem um casamento duradouro tende a estar satisfeito com seu relacionamento e a cuidar da saúde de seu parceiro.

Em consequência, os idosos casados tendem a viver por mais tempo, com mais felicidade e com mais saúde.

A morte do cônjuge é um trauma grave.

Os viúvos são mais inclinados a sofrer problemas de saúde e mais propensos a se casar de novo.

As viúvas são mais propensas a ter dificuldades financeiras e a encontrar conforto em grupo de amigos.

Outro fator que influencia a qualidade de vida para o idoso em nosso tempo é a ideia massificada socialmente de necessidade de juventude eterna.

O culto ao corpo jovem, a estética de beleza baseada na juventude, a qualificação da pessoa de acordo com seu status profissional e financeiro são obstáculos para aquele que envelhece.

A sociedade em entrelinhas prega que é proibido envelhecer!

A pessoa quanto mais envelhece, em um processo natural, mais se interioriza, mas a pressão social atual faz com que o idoso tenha que priorizar tudo que lhe é exterior para poder atender os anseios sociais.

E a pessoa idosa tem a necessidade de elaborar as perdas decorrentes da idade e também a proximidade da morte e tudo isso tem que ser trabalhado internamente.

A equação de tudo isso é que a velhice é vista como sendo um fracasso pessoal e social e muitos empreendem uma busca desesperada pelo rejuvenescimento e se culpam pelo inevitável envelhecimento.

O resultado desta equação pode ser o da sensação de impotência diante da vida e de sentimentos depressivos diante do inevitável passar dos anos.

Madame de Sévigné: “O coração não tem rugas.”.

Vídeo: A quarta idade

A sensação de finitude

Duas coisas são certezas inevitáveis para o ser humano desde o seu primeiro dia de vida:

  • O ser humano começa a envelhecer desde o momento em que nasceu
  • O ser humano morre

Hoje ciência e tecnologia possibilitam que o ser humano viva mais tempo e consiga adiar a morte por um tempo maior que as gerações anteriores.

Isso altera a relação do ser humano com a sua finitude!

Hoje academias esculpem corpos, medicamentos amenizam os efeitos do envelhecimento, comprimidos revigoram  a sexualidade e inúmeras são as ferramentas para combater o envelhecimento e sustentar a ideia de fonte da juventude.

O ser humano é estimulado a se render aos mitos da eterna juventude e da imortalidade.

A juventude deve ser sempre buscada e a velhice deve ser sempre evitada!

Mas no início vimos que duas verdades são irrefutáveis: o ser humano envelhece e o ser humano morre.

A qualidade de vida para o idoso em seu aspecto psicológico passa pela necessidade da psique humana aceitar a realidade e as verdades nela contida.

O envelhecimento está necessariamente ligado à concepção de finitude do ser humano.

Envelhecer e morrer são realidades!

Juventude eterna e imortalidade são ilusões!

Envelhecimento e finitude devem fazer da realidade daquele que envelhece.

Michel Montaigne: “Que a velhice não nos surpreenda com mais rugas na alma do que no corpo.”.

Qualidade de vida para o idoso

Envelhecimento bem sucedido

Qualidade de vida para o idoso é sinônimo de envelhecimento bem sucedido.

O envelhecimento bem sucedido acontece quando aquele que envelhece consegue se adaptar no sentido cognitivo, emocional e comportamental à demanda da própria natureza que é o processo de envelhecimento, bem como, de forma sábia ao contexto em que vive.

Envelhecimento bem sucedido é quando o ser humano promove em si a capacidade de ser flexível frente aos desafios do processo de envelhecimento e consolidar um autoconceito que não depende das concepções sociais para lhe dizer quem realmente é.

Envelhecimento bem sucedido é a percepção de que a beleza não reside apenas em um período da vida e que cada fase da vida é bela à sua maneira.

Franz Kafka: “Quem possui a capacidade de perceber a beleza nunca envelhece.”.

Vídeo: Canção na plenitude

Sêneca: “Ninguém é tão velho que não espere que depois de um dia venha outro.”.