Relações humanas

“Se quiseres ser amado, ama”. (Sêneca)

Reconhecendo ou não você depende de outras pessoas

Não há ninguém que não se utilize da sabedoria, da bondade, da criação ou do conhecimento de outra pessoa.

Existem inúmeros motivos para o ser humano se relacionar.

Alguns se relacionam por afinidade, outros por necessidade, mas, o principal motivo do ser humano se relacionar é que ele é um ser social e “precisa” relacionar-se.

Relacionar-se socialmente é uma necessidade humana.

Influenciando e sendo influenciado

Somos sensíveis aos estados de ânimo, humores, emoções e sons das pessoas ao nosso redor.

Assim, influenciamos e somos influenciados em nossas relações sociais.

Aproximar-se das pessoas, criar laços com elas, encontrar pontos e interesses em comum são habilidades de relacionamento e são elas que determinam a boa interação com as pessoas ao nosso redor.

Conversando é que se entende (e se desentende)

A conversa, o diálogo é o meio do qual dispomos a nos fazer entender.

Praticar a arte do diálogo é recuperar a dignidade de nossa espécie, que é a única, entre os animais, apta a compreender e ser compreendida.

Portanto, dialogar é preciso. Ao comunicar-se o homem:

  • Se experimenta em sociedade;
  • Fica no centro de seu próprio existir; e
  • Torna-se corresponsável pelas situações da vida.

Habilidades para o sucesso e a felicidade

Não devemos menosprezar as habilidades das relações humanas, pois, sendo o homem um ser social, há nele a necessidade e a satisfação em relacionar-se.

Ninguém alcança sucesso ou realização sozinho, por isso, a habilidade para relacionar-se é também ingrediente para a felicidade.

A linguagem acaba por ser um meio criador e transformador do ser humano, indicando, assim, que as palavras trazem em si possibilidades inúmeras de transformação do ser humano.

O poder das palavras

As palavras trazem em si o poder de ser o resgate da reflexão e a sensibilização da pessoa que vive um momento de conflito, de baixa autoestima, de perda de identidade e percepção de quem realmente é e.

Por consequência, enxergar-se mais em decorrência da situação momentânea que vive e que perdeu a referência de quem realmente é.

Palavras tem poder, portanto, atenção com o que diz e cuidado com a importância que dá ao que ouve.

Indo além das palavras para se relacionar

Mas as palavras não são a única ferramenta nas relações humanas.

O modo como se veste, o modo como olha as pessoas, seus movimentos, o tom de suas palavras, enfim, tudo o que é expressão de si mesmo faz parte de qualquer relacionamento com outra pessoa.

Relações humanas, ou melhor, mais “humanas”

Relações humanasRelacionamentos saudáveis exigem que estejamos aptos a estabelecer contatos sem negarmos a nós mesmos, respeitando as diferenças, aceitando limites e tendo consciência de nossas intenções no momento presente.

Em uma relação humana saudável é necessário comunicar-se com responsabilidade.

Um lembrete importante: o homem é um “ser pensante”, portanto, carrega em si a possibilidade de avaliar e escolher o que vai comunicar ao seu próximo.

“São necessários vinte anos para construir uma reputação e apenas cinco minutos para destruí-la”. (Warren Buffet).

Dois ouvidos e uma boca

A aritmética da anatomia humana recomenda: “Ouça duas vezes mais do que fala”.

Afinal, você tem dois ouvidos e uma boca.

E ouvir é uma arte e para quem não tem naturalmente este talento é fundamental o desenvolvimento desta arte, pois, algumas pessoas, muitas vezes ouvem sem a intenção de realmente ouvir e entender o que está sendo ouvido.

Estas pessoas ouvem não para entender, elas apenas ouvem para prontamente responder, ou seja, desejam ser ouvidas, mas sem a humildade de ouvir e isso impede que exista conexão com a outra pessoa.

A conexão com o outro

A conexão com o outro só acontece se levarmos em consideração não somente as palavras do outro, mas, também, suas emoções, sentimentos e tudo o que está por trás das palavras.

A vida é encontro!

Encontros são oportunidades de aprendizado.

Aquele que tem em si a arte de saber ouvir faz até das críticas que recebe oportunidades para seu crescimento.

Um ignorante ao ouvir uma crítica ganha um inimigo.

Um sábio ao ouvir uma crítica ganha sabedoria.

O ignorante ao ouvir uma crítica torna-se ainda mais ignorante.

O sábio ao ouvir uma crítica torna-se ainda mais sábio.

Paulo Rogério da Motta