Reprogramando os programas mentais


Você já tentou algumas destas coisas abaixo e não conseguiu?

  • Parar com um pensamento indesejado
  • Eliminar um hábito
  • Por fim a um sentimento insistente e desagradável

Creio que todos nós já passamos por insucesso em situações assim.

Isto é, queríamos mudar algo em nós e não conseguimos.

Houve a intenção (e boa!), mas somente a intenção não deu conta da mudança.

Por que, às vezes, mudar alguma em nós é tão difícil?

Do mesmo modo que algumas mudanças não acontecem outras mudanças acontecem.

Isto significa que temos a fórmula para as mudanças, mas parece que algumas vezes ela não funciona.

Foge da lógica sabermos fazer algo e, ainda assim, não conseguirmos fazer este algo.

Programas mentais

Pensamentos recorrentes, hábitos e sentimentos insistentes são programas mentais que rodam em nosso supercomputador: o cérebro.

O cérebro é o hardware e os programas mentais são os softwares.

Mudanças são upgrades!

Upgrade é desenvolvimento pessoal!

Quando não conseguimos as mudanças que exemplificamos acima podemos entender, então, que nosso computador está rodando um programa defasado, mas como ele é o único programa instalado para aquela operação ele roda da maneira que foi configurado.

Os programas mentais tinham sua função e rodavam adequadamente até que sua vida e você se inovaram e os programas então ficaram ultrapassados.

O necessário upgrade

Tudo que você faz hoje você aprendeu desenvolvendo programas mentais: andar, comer, falar, ler e tudo mais.

Os programas mentais foram planejados para facilitar a execução de nossas atividades e após estarem “rodando” configuram pensamentos, sentimentos, sensações, percepções e criam padrões de comportamento que são os hábitos.

Estamos constantemente fazendo upgrades na vida e um exemplo vem do início de nossa vida quando engatinhávamos pelo chão para nos deslocar pelo mundo e depois fizemos um upgrade e passamos a caminhar pela vida.

Os programas mentais são sistemáticos e alguns são bem resistentes a um upgrade.

Cadê o programador?

Falamos em computador e em programas, mas agora lhe pergunto: quem é o programador?

Se precisamos de um upgrade e nossos programas mentais não podem ser baixados pela internet ou comprados em uma loja especializada a solução se encontra no programador.

Vamos descobrir quem é o programador!

Os programas rodam e são configurados na máquina computador, logo o programador opera a máquina.

Programador é aquele que cria um programa para executar determinada tarefa, logo foi ele que programou todos os programas mentais que estão em execução.

Já sabe quem é o programador?

Se ainda não, vamos a uma dica super quente utilizando ainda a analogia com a informática!

Você já reparou que as empresas que criam softwares sempre colocam seu nome no produto?

Microsoft Office, Pinnacle Studio, Adobe Master e etc..

Como se chamam os programas que rodam em seu computador-cérebro?

“Programas mentais”!

Programas MENTAIS!

Ok! Descobrimos o programador: é a MENTE!

Reprogramar

Para o programador atualizar seu software ele precisa ver o seu funcionamento através das suas linhas de código.

Não adianta, por exemplo, ele ficar digitando no editor de textos para atualizar o software de edição de textos. Ele precisa ir ao código-fonte!

Na atualização de nossos programas mentais ir ao código-fonte significa observar a si mesmo, porém, auto observar-se à distância, isto é, ficar do lado de fora da vivência.

Como fazer isso?

Através da “visualização”!

Ver-se fazendo ao invés de efetivamente fazer!

Isto é observar seus códigos-fonte!

Você está associado ao programa mental, porém, dissociado dele.

Este tipo de situação modifica o seu papel de agente passivo para agente ativo e, melhor ainda, para o papel de agente criativo!

E programadores precisam da criatividade para trabalhar!

O passo seguinte

O primeiro passo foi o de dissociar-se do programa mental e vê-lo funcionando.

Este primeiro passo fez com que uma ação involuntária passasse a ser voluntária.

Você saiu do papel passivo para o papel ativo.

Saiu do papel de controlado para o de controlador.

Isto desvitaliza a ação autônoma do programa mental.

Neste primeiro passo o programador ocupou-se com o programa.

Para criar algo é preciso espaço.

O segundo passo, então, é “desocupar” o programador para dar espaço para a sua criatividade.

O segundo passo é desocupar o programador ou “esvaziar a mente”.

O caminho se faz ao andar

O segundo passo é um relaxamento e ele deve ser físico e mental.

Percebe porque meditar é tão recomendado e faz tão bem?

A meditação é este tempo que a mente precisa para se tornar criativa.

Meditar é não pensar.

Registre que meditar faz muito bem e é ótimo que você enquadre como uma atividade frequente em sua vida, mas, por enquanto, fiquemos no relaxamento da mente e do corpo.

Foque na sua respiração, respire fundo algumas vezes, perceba seus músculos relaxando e sua mente se acalmando. Retese seus músculos e perceba a tensão e depois os solte relaxando ainda mais o corpo e sinta sua mente se acalmando cada vez mais.

Faça isso por alguns minutos, pelo menos uns três minutos.

Você no primeiro passo reviveu a experiência desagradável de seu programa mental e agora você irá reviver uma experiência agradável que você escolher. Pode ser qualquer uma, a escolha é sua! Não precisa nem ser algo acontecido! Pode ser algo que você ainda quer realizar!

Reviva ou viva a situação visualizando em sua mente e esteja atento a todas as sensações que ela trouxer.

Viva as sensações, emoções e todos os coloridos que a situação escolhida trouxer.

Após experimentá-las da maneira mais intensa que conseguir deixe a situação ir embora e faça isso como se você estivesse tirando o zoom da visualização.

Deixe as imagens de sua visualização irem se afastando e se tornando menor a cada instante até sumir totalmente de sua mente.

Ao terminar este passo se observe:

  • O que sente?
  • Quais são as sensações?

E é isto! Você criou condições de trabalho para seu programador!

Agora deixe o trabalho por conta dele!

O trabalho do programador agora irá fluir!

Se for uma reprogramação mais complexa faça isso outras vezes.

Propicie boas condições para seu programador trabalhar!

O que aconteceu?

Inicialmente você ao reviver de forma dissociada o programa mental fez com que a energia negativa fosse ativada.

Ao relaxar você ativou a energia neutra.

Ao invocar a visualização agradável você ativou a energia positiva.

Ou seja, todas as fases energéticas foram ativadas e assim equilibrou a sua energia.

Uma analogia que cabe é a de associar as fases da energia desta forma:

  • Energia Negativa: Aflição
  • Energia Neutra: Apatia
  • Energia Positiva: Euforia

Qualquer uma das energias quando vividas individualmente não são benéficas à mente, mas quando vividas de forma deliberada e em um contexto que faz parte de um único processo passam a ser complementares e não antagônicas.

Isto é que gera o equilíbrio necessário para a mente atuar com excelência!

Todo mundo trabalha melhor se o contexto ajudar e isso se aplica também à sua mente!

Você pode usar esta técnica para reprogramar seus programas mentais e obter excelência em sua vida.

Paulo Rogério da Motta


Veja também…

Vídeo: Ilusão de ótica