A formação dos sete mundos


A formação dos sete mundos ou sete planos, segundo C. W. Leadbeater, em sua obra: Compêndio de Teosofia.

O espírito e a matéria, do plano divino ao plano físico.


A formação dos sete mundos

Desde o início do universo, duas forças são percebidas: o espírito e a matéria.

O espírito se expressando como “vida” e a matéria como “forma”.

A raiz da matéria que deu origem a tudo é o “éter do espaço” e o que é chamado de espaço vazio é o espaço preenchido por matéria cuja densidade está além dos sentidos físicos.

Esta substância, supõe-se, enchia todo o espaço e o Grande Ser modificou seu estado de repouso soprando o espírito em parte desta matéria elementar.

O sopro divino produziu inúmeras bolhas que formaram os átomos elementares da matéria que conhecemos.

Estas bolhas que são a matéria elementar ainda não é o átomo dos químicos nem mesmo o átomo elementar da matéria física e estas bolhas somente estão presentes em planos muito mais elevados que o plano físico.

O átomo dos químicos é, na verdade, o composto de várias agregações destas bolhas.

Assim, a massa infinita das bolhas elementares é matéria prima para as diferentes espécies de matéria.

Sobre a formação de um sistema solar, segundo Leadbeater, ele diz que o Deus solar:

Traçou primeiramente o limite de seu campo de atividade – vasta esfera cuja circunferência deveria exceder de muito a órbita de seus futuros planetas mais afastados.

Dentro da esfera pôs em movimento um turbilhão gigantesco, que varreu e reuniu todas as bolhas em uma vasta massa central: a substância da nebulosa que nasceria um dia.

As bolhas foram agregadas de forma cada vez mais complexa e o Deus solar enviou ao turbilhão da massa de bolhas impulsos de força que produziu sete mundos gigantescos e concêntricos interpenetrados um no outro com matéria em diferentes graus de densidade.

Entretanto, certo número de átomos foi dissociado e formaram a matéria do primeiro mundo ou plano superior.

Então foi dado o primeiro impulso que pôs em movimento toda a esfera restante e formaram inúmeros minúsculos turbilhonamentos e cada um agrupou 49 bolhas que formaram a matéria do segundo mundo.

Certo número de átomos foi dissociado e o segundo impulso foi dado sobre a parte da matéria do segundo mundo (os agrupamentos de 49 bolhas-átomo) provocando turbilhonamentos que cada um agrupou 2401 bolhas (49² = 49 x 49) que formaram a matéria do segundo mundo.

E assim os impulsos foram sucessivamente dados para formarem os planos dos sete mundos:

  • Segundo mundo = 49 bolhas elementares
  • Terceiro mundo = 49² = 2.401 bolhas elementares
  • Quarto mundo = 493 = 117.649 bolhas elementares
  • Quinto mundo = 494 = 5.764.801 bolhas elementares
  • Sexto mundo = 495 = 282.475.249 bolhas elementares
  • Sétimo mundo = 496 = 13.841.289.201 bolhas elementares

Os átomos do sétimo mundo são os átomos elementares do mundo físico, porém ainda não são os átomos dos químicos, mas sim, os átomos que compõem os átomos dos químicos.

Assim, existem sete tipos de diferentes matérias, mas todas formadas de matéria idêntica original.

Diz Leadbeater:

O sétimo impulso dado pelo terceiro aspecto da Divindade, não trouxe ao estado de bolhas dissociadas primitivas, como tinham feito os impulsos precedentes, os átomos físicos criados em último lugar; reuniu-os ao contrário em certos agregados, formando assim diferentes variedades de elementos que se poderiam intitular “proto-elementos”, e estes, por sua vez, foram ajuntados em formas diversas, conhecidas pela ciência sob o nome de elementos químicos.

Tudo isso aconteceu durante um longo período de eras e com a combinação de várias forças e ordem determinada.

Neste processo a condensação aumentou e a imensa nebulosa se inflamou e o movimento contínuo de turbilhonamento fez com que a nebulosa se achatasse e se resfriasse que, então, tomou a forma de um disco imenso dividido gradualmente em anéis em torno de um corpo central.

Sobre a formação dos planetas, Leadbeater explica:

Quando a existência de planetas foi julgada necessária para que eles servissem de campo de evolução, a Divindade produziu, num ponto compreendido na espessura de cada círculo, um turbilhão subsidiário, no qual gradativamente se reuniu a matéria do anel.

A colisão desses fragmentos reunidos ocasionou um aumento de calor e o planeta que deles resultou foi, durante muito tempo, uma massa de gases inflamados.

Pouco a pouco se resfriou essa massa até se tornar própria para servir de teatro a uma vida semelhante à nossa.

Assim nasceram os planetas.

O nosso planeta Terra, desta forma, é uma esfera de matéria física formada por átomos de todos os mundos e é o produto de sete mundos que se interpenetram ocupando o mesmo espaço.

E assim se deu a formação dos sete mundos:

  • Primeiro mundo = Mundo Divino
  • Segundo mundo = Mundo Monádico
  • Terceiro mundo = Mundo Espiritual
  • Quarto mundo = Mundo da Intuição
  • Quinto mundo = Mundo Mental
  • Sexto mundo = Mundo Astral
  • Sétimo mundo = Mundo Físico