Texto escaneável e o leitor que não lê

Vou começar falando de texto escaneável de um jeito absurdo e lógico!

Se você está recebendo o que estou escrevendo é obvio que está lendo!

Ok!

Você está lendo, mas será que está lendo?

Pode parecer uma pergunta sem cabimento, mas se aprofundarmos a questão verá que não.

Façamos isso então!

Diferentes modos de ler

Alguém que é médico e sendo um profissional consciente estará constantemente lendo livros e artigos médicos.

O mesmo se aplica ao bom advogado, ao bom psicólogo, ao bom comerciante e etc..

Vou continuar no exemplo do médico e vou imagina-lo sendo um cardiologista.

Este médico lê coisas sobre o coração.

Agora imagine este médico recebendo uma carta de amor de alguém que ama.

Mesmo sendo ele doutor do coração em sua especialidade médica, a leitura da carta de amor será muito diferente da leitura de um artigo ou livro médico.

Tanto com o artigo médico quanto com a carta de amor ele estará exercendo a atividade de ler.

Mas a forma como ele lê um é totalmente diferente da forma como ele lê o outro.

Então existem diferentes formas de ler!

Se você é estudante ou foi, então sabe que inúmeras leituras foram feitas somente para se conseguir a nota necessária para uma prova específica.

Aqui a leitura é feita para eliminar algo!

Se a leitura, como alguns dizem, é o alimento da alma, este tipo de leitura é um fast food!

Com tudo isso já se pode concluir que a leitura envolve propósito e é nesse sentido que a maioria sabe ler.

Agora se a leitura feita é depois descartada, o que foi lido se tornou, então, uma leitura descartável e se joga fora aquilo que não tem mais propósito ou utilidade.

Jogando fora o que foi lido o resultado é que no momento pós-leitura o que foi lido tem o mesmo valor de que se não tivesse lido. É como se tivéssemos lido nada!

Guarde o exemplo do médico e da carta de amor que o usaremos mais a frente!

Se não for escaneável o leitor vai embora

Hoje, principalmente em razão da internet e a super velocidade com que a informação é transmitida, acostumamo-nos com a leitura consumista.

Hoje quem escreve tem que se preocupar em escrever de forma escaneável!

O que é um texto escaneável?

É um texto escrito em blocos, com parágrafos curtos e que utiliza algumas coisas para chamar a atenção, como uma ISCA, que é o que acabei de fazer agora.

Usei caixa alta e negrito e isto chamou a sua atenção e trazer esta frase para outro parágrafo também!

Estas são técnicas do texto escaneável.

O propósito de tais textos é a adaptação ao leitor moderno.

Hoje parágrafos longos causam a impressão de texto enfadonho ao leitor!

Artigos longos escritos de forma contínua, sem a quebra em blocos, causa a mesma impressão.

Vamos ao próximo bloco então!

O moderno método atual de “não ler”

Título chamativo é outra técnica da leitura escaneável.

Hoje o texto escaneável é uma adaptação do escritor ao seu público.

Hoje a maior parte do tempo de alguém que lê na internet é usada para “não ler”!

Isso mesmo! Aquele que lê, na verdade, não lê! Apenas escaneia o texto!

Passa os olhos pelo texto!

Atualmente muitas pessoas não querem “gastar” seu tempo com uma coisa só!

Neste momento você pode estar com outras janelas abertas em seu computador ou dispositivo móvel e talvez um editor de texto, um PDF, uma rede social, um comunicador e, ainda, a TV ligada ou ouvindo uma música…

Geralmente não estamos dedicados exclusivamente à leitura!

Não lemos, apenas escaneamos otexto!

O médico e a carta de amor

Lembra que falei que voltaria ao exemplo do médico e da carta de amor?

Pois é! Aqui estamos com ele de novo!

Falei naquele bloco dos diferente modos de ler.

Falei do médico que lê um artigo e também lê uma carta de amor da pessoa amada.

Utilizei outro exemplo também, o de ler para tirar nota nas provas.

A leitura descartável atende a um propósito imediatista!

Leio, atinjo o propósito e descarto!

Mesmo sendo um processo de imediatismo ainda existe um propósito para se ler.

Há também a leitura “marcante”, aquela que fica com você e não desvanece no imediatismo.

O médico quando lê algo de sua profissão faz aquilo para adquirir algo e ele carregar aquele algo consigo para utilizar o que foi lido em outras situações.

O propósito é de longo prazo!

Chegamos à carta de amor agora!

A carta de amor também é uma leitura “marcante” porque o afeta emocionalmente e se transforma em lembrança que será eterna enquanto perdura (momento poético!)!

E qual o propósito do médico para ler a carta de amor?

Você já ouviu a expressão: “morrer de curiosidade”?

Pois bem! O propósito do médico era não morrer!

Texto escaneável é quase como bilhete de amor

O propósito do médico é matar a curiosidade!

Imagine a situação de a pessoa amada lhe entregar uma carta e lhe dizer: somente leia daqui cinco dias!

Seria aflitivo demais!

Vamos para a analogia do texto escaneável e da carta de amor.

Imagine você cruzar com um texto feito de forma contínua e com parágrafos enormes!

Causa aflição logo de cara e com exceção dos masoquistas ninguém quer deliberadamente sofrer!

Quem recebeu a carta de amor quer abri-la de imediato e saber o que ela diz!

Quem lê, principalmente na internet, também!

A carta de amor tem a sua particularidade de que somente a sua existência já é motivadora para seu leitor porque pelo fato de existir já lhe desperta curiosidade!

Um texto qualquer não!

O texto qualquer precisa despertar a curiosidade!

Uma carta de amor pode ser longa e é até desejável que seja!

Mas um texto escaneável tem que ser como um bilhete de amor: curto e apaixonante.

Este artigo se você gostar vai ser algo do tipo bilhetão!

Daí a necessidade de ganchos para fisgar os olhos do leitor enquanto ele escaneia o texto!

Se não acontecer a paixão não acontece a leitura!

Ler ou não ler, eis a questão

Acho contraproducente a posição do saudosista que não aceita o novo porque para ele somente o passado serve e é bom!

O único tempo que “realmente existe” é o agora!

E não há como ser pleno no agora se o negarmos!

O tempo é esse! E escanear é o que tem para hoje!

Não vou fazer apologia e demonizar o texto escaneável!

Pelo contrário, eu o utilizo e vejo seu charme também!

Mas também adoro uma leitura em que vou sendo levado por parágrafos e mais parágrafos, páginas e mais páginas…

Por um texto que vou lendo e não sei aonde ele irá me levar…

Gosto de realmente “ler”!

Aprecio o texto escaneável e somente me preocupa o efeito que está causando em algumas (muitas) pessoas!

As pessoas perdendo ou não desenvolvendo o gosto de ler!

De dedicar-se à leitura por um tempo!

Ler algo como se lê uma carta de amor!

Neste artigo associei “o ler” com o dedicar-se intensa e profundamente à atividade de ler.

E o “não ler” com a leitura escaneável, quando somente se passa os olhos pelo escrito, feito uma paquera displicente.

E feito Hamlet fica a questão: “Ler ou não ler, eis a questão!”.

Modernizando a questão: Ler ou escanear, eis a questão!”.

A minha resposta é: “Os dois”.

Escanear é preciso, mas ler é fundamental!

Um abraço

Paulo Rogério da Motta