Vocação e talento

Vocação e talento são sinônimos?

Se não são, qual a diferença?

É possível ter talento e não ter vocação?

E o contrário?

Muitas são as questões!

Vocação e talento

Reflexões sobre talento e vocação

Qual é a sua vocação?

Quais são os seus talentos?

Você conhece todo o seu potencial?

Com frequência os músicos, especialmente os intérpretes, refletem sobre o “talento”.

Músicos bem sucedidos atribuem ao talento seu prestígio, músicos mal sucedidos creem que é a falta de talento que os deixa em tal posição e estudantes de todos os nível se perguntam vez ou outra se teriam ou não o talento.

Nem todos perguntam sobre a vocação!

Qual seria a diferença entre eles?

Vocação e talento são dois conceitos distintos, portanto.

Uma pessoa com talento para pilotar um avião pode, por exemplo, ter medo de altura.

Vocação!

Talento!

São distintos.

É sobre isso que refletiremos!

Vocação e talento

Vocação e talento

Muita gente confunde talento com vocação.

E se pergunta se tem talento para alguma coisa, como se apenas isso importasse!

Acontece que a maioria das pessoas que é bem sucedida em alguma coisa venceu pela determinação e persistência, apenas uma minoria também tinha muito talento.

Porque talento sozinho não leva ninguém a lugar nenhum.

O mais curioso é que pessoas que têm facilidade natural em fazer algo geralmente não valorizam e até desprezam essa característica pessoal.

Já as pessoas com vocação, aquelas que amam o que fazem e persistem, mesmo que ninguém mais ponha fé nelas, lutam e comemoram alegremente cada pequena conquista adquirida.

Qual seria a diferença entre eles?


Talento

Talento é a capacidade natural de executar uma tarefa ou facilidade de dominá-la em um espaço de tempo menor que a maioria.


Vocação

Vocação está intimamente ligada ao sentido de “voz interior“ e de utilização de nossas “potencialidades”.

Tem origem na palavra “vocare”, que significa chamamento, que foi chamado.

A vocação não é simplesmente uma escolha!

Temos sim, talentos, aptidões e habilidades que vão nos direcionar a uma determinada missão ou atividade e nós nos encaixaremos ou não onde houver necessidade.

Tentar descobrir nossa vocação sem antes conhecer nossas aptidões e nossos dons naturais, é “atirar no escuro”.

Vocação e talento

Vocação em primeiro lugar

Não existe uma fórmula pronta, do tipo, “faça isso e você será feliz”.

Temos que nos conhecer, pelo menos buscar nos conhecer.

Nossos talentos, muitas vezes, estão escondidos em nós.

Fazemos testes vocacionais e mesmo assim nos encontramos perdidos.

É natural que os estudantes e os profissionais em certos estágios da sua carreira se debrucem tanto sobre o talento.

Essas pessoas vivem uma fase da vida em que ainda estão envolvidos com um ofício e acham vantajosa a economia de tempo e energia que o talento traz nessa fase.

Porém, uma vez dentro do mercado, é a vocação quem separa as promessas e revelações dos bem estabelecidos.

Talento e vocação podem ter seu potencial aumentado!

Além disso, é possível fazer escolhas que aproveitem melhor o talento e a vocação inata de cada um.

Existe uma história interessante:

Um mecânico conversava com seu médico, enquanto consertava o carro:

– Tá vendo, Doutor? Nosso trabalho é parecido. Você conserta o coração das pessoas e eu conserto o coração de seus carros.

E o médico respondeu:

– Pode até ser. Mas eu quero ver você fazer esse conserto com o motor funcionando!

Ou seja, cada um no seu quadrado.

O importante é ouvir esta voz que vem do coração e que nos pede para seguir um determinado caminho.

Mas nem sempre este caminho surge assim tão fácil à nossa frente.

Às vezes é preciso tempo, vivência e até mesmo escolhas aparentemente erradas para chegarmos ao nosso verdadeiro caminho, à nossa vocação.

Por isso é tão comum que pessoas na meia idade mudem de profissão ou façam coisas que surpreendam pessoas próximas.

Estas pessoas estão procurando atender ao seu chamado interno, a vocação.

Talento é bom e pode ajudar muito!

Mas é fundamental que exista vocação!

Exemplo: alguém pode ter talento para a matemática e não sentir a menor vontade de trabalhar com números.

Se talento e vocação comungarem o mesmo caminho pode se considerar uma dádiva tal coisa.

Mas o fundamental é ouvir o chamado interno, a vocação.

Quando você ouvir este chamado interno, atenda.

É a sua alma indicando um caminho!


Vídeo: Lila